Menu principal

Informação médica

A tua saúde e tranquilidade são importantes para nós e queremos que estejas tão confortável quanto possível a bordo do teu voo. É perfeitamente seguro voar na maioria dos estados clínicos. Contudo, verifica aqui a informação caso tenhas dúvidas ou contacta o teu médico relativamente ao teu estado clínico. Se tiveres alguma questão, não hesites em contactar a Equipa de Serviço de Apoio ao Cliente.

Viajar com equipamento médico

Alguns equipamentos médicos podem ser trazidos para bordo, contudo, caso tragas um equipamento de grande dimensão, ou vários materiais, contacta-nos para garantir que te podemos acomodar.

Medicação

  • Aconselhamos que leves a tua medicação na tua bagagem de mão
  • Traz contigo uma declaração do teu médico indicando o tipo de medicação e para que serve
  • Não nos é possível refrigerar a medicação a bordo

Agulhas

Podes trazer agulhas e seringas para bordo para o tratamento de problemas de saúde. Contudo, assegura-te de que também trazes uma declaração do teu médico que confirme o tipo de medicação e para que serve. Tem em atenção que as injeções necessárias durante o voo devem ser autoadministradas. A nossa tripulação de cabine não pode administrar qualquer medicação, incluindo injeções, em circunstância alguma. Informa a tripulação de cabine caso necessites de usar as tuas agulhas para que possam providenciar-te uma caixa adequada para as descartares.

Oxigénio medicinal

Com a exceção de situações de emergência, não fornecemos oxigénio suplementar. As garrafas pequenas de ar comprimido ou de oxigénio são autorizadas na bagagem de mão apenas para uso médico pessoal. Estas garrafas não podem exceder 0,5 metros de comprimento e devem ter um diâmetro máximo de 250 mm.

Vais precisar de um certificado médico a confirmar que as garrafas são necessárias por motivos médicos e que estás apto para viajar. Tens autorização para levar um máximo de 2 cilindros e estes devem ser colocados no compartimento superior ou debaixo do assento. Se levas contigo garrafas de oxigénio, informa a tripulação de cabine quando estiveres a embarcar.

São autorizados a bordo concentradores de oxigénio (elétricos ou com bateria), e é necessário um certificado médico. Se precisares de oxigénio a bordo, tens de usar as baterias (certifica-te de que as baterias têm energia suficiente para a duração da viagem, incluindo possíveis atrasos).

Os geradores de oxigénio químico não são permitidos.

Pacemakers

São permitidos pacemakers cardíacos ou outros dispositivos, incluindo aqueles alimentados por baterias de lítio, implantados numa pessoa, ou radiofarmacêuticos no organismo de uma pessoa como resultado de um tratamento médico.

Macas

Não nos é possível aceitar macas em qualquer um dos nossos voos.

Viajar durante a gravidez

Futuras mães, Apesar de a gravidez não ser considerada um problema de saúde e poderes viajar até muito tarde na gravidez, nota que:

  • Se tiveres tido complicações durante a gravidez, consulta o teu médico antes de viajar connosco
  • Se estiveres grávida de apenas um bebé, podes viajar até ao fim da 35.ª semana
  • Se estiveres grávida de mais do que um bebé, podes viajar até ao fim da 32.ª semana

As grávidas podem viajar com um bebé ao colo, se assim o desejarem.

Trombose venosa profunda (“TVP”)

Esta patologia está associada a longos períodos de inatividade, pelo que afeta geralmente as pessoas que fazem voos de longo curso. A TVP é por vezes conhecida pelo “síndroma da classe económica”, mas esta é uma ideia ilusória, uma vez que os passageiros que viajam de carro ou de comboio também podem estar em risco. O seguinte pode aumentar a probabilidade de uma TVP: Esta patologia está associada a longos períodos de inatividade, pelo que afeta geralmente as pessoas que fazem voos de longo curso. A TVP é por vezes conhecida pelo “síndroma da classe económica”, mas esta é uma ideia ilusória, uma vez que os passageiros que viajam de carro ou de comboio também podem estar em risco. O seguinte pode aumentar a probabilidade de uma TVP:

  • A tendência para a criação de coágulos;
  • Cirurgias recentes; particularmente cirurgias às pernas, ferimento ou inchaço nas seis semanas anteriores ao voo;
  • Imobilidade prolongada, particularmente membro(s) inferior(es);
  • TVP anterior ou presente, ou histórico familiar de TVP;
  • Ter mais de 40 anos de idade;
  • Se estiveres a tomar contracetivos orais e alguns tratamentos hormonais;
  • Se estiveres grávida;
  • Se tiveres varizes;
  • Doença cardíaca recente;
  • Doença maligna atual ou quimioterapia;
  • Problemas sanguíneos;
  • Diminuição dos fluidos corporais, tornando o sangue mais espesso; ou
  • Caso tenhas tido um enfarte nas 6 semanas antes do voo.
Como a imobilidade é um grande risco no desenvolvimento da TVP, para reduzir o risco durante o voo aconselhamos a:
  • Andar pela cabine;
  • Mudar de posição frequentemente;
  • Evitar cruzar as pernas;
  • Fazer exercícios no lugar; e
  • Beber muita água antes, durante e após o voo.

Caso tenhas tendência para a TVP tens de ser consultado pelo teu médico antes de voar e utilizar meias de compressão adequadas, heparina de baixo peso molecular ou anticoagulação oral com varfarina. Caso estejas em risco não deves contar com a aspirina para prevenir a TVP.

Orientações para diabéticos

Caso tenhas diabetes e necessites de injeções durante o voo, tens de o fazer por ti e tens de avisar a tripulação de cabine quando embarcares no avião. Certifica-te de que levas suprimentos de insulina suficientes na tua bagagem de mão, e não na bagagem de porão. A insulina pode ficar inativada no porão devido às temperaturas muito baixas. As canetas de insulina para diabéticos são autorizadas na viagem sem documentação médica. Se estás a tomar insulina ou sulfonilureias de ação prolongada, leva hidratos de carbono extra na tua bagagem de mão e mantém-te na "hora local de partida" durante o voo.

Orientações para mergulhadores

Doença de descompressão Deves garantir que não mergulhas nas 24 horas anteriores ao voo para minimizar o risco de problemas de descompressão. Tem em atenção que as garrafas de ar de mergulho/mergulho submarino não são aceites a bordo.

 

Voar após uma doença ou cirurgia

Tipo de cirurgia

Viagem permitida após

Cirurgia cardíaca

14 dias

Angioplastia

5 dias

Cirurgia abdominal

10 dias

Cirurgia torácica

6 semanas

Remoção de amígdalas

14 dias

Cirurgia do ouvido médio

A cavidade do ouvido está seca e normalmente arejada (geralmente 14 dias)

Cirurgia a laser da córnea/a cataratas

1 dia


Após uma cirurgia recente, é necessária uma declaração médica confirmando que podes voar

Tipo de incidente médico

Podes viajar

Ataque cardíaco

Ao fim de 7 dias se for de menor complexidade e não tiver complicações
No caso de ataques cardíacos graves ou com complicações, tens de consultar um médico antes de voares
É necessário um certificado médico a confirmar que estás apto para viajar

Acidente vascular cerebral 10 dias

Se viajares no período de 11 a 21 dias depois de um acidente vascular cerebral, necessitas de um certificado médico que confirme que podes voar

Pneumotórax

Quando o tórax tiver sido drenado e o pulmão se tiver expandido totalmente (normalmente 14 dias). Tens de viajar acompanhado. É necessário um certificado médico a confirmar que estás apto para viajar

Lesão ocular penetrante

7 dias



Tipo de condição

Podes viajar

Angina

Apenas se a condição estiver estável

Infeção do ouvido médio

Assim que a condição estiver resolvida (geralmente 7 dias)

Sinusite

Assim que a condição estiver resolvida (geralmente 7 dias)

Anemia crónica

Não podes viajar

Epilepsia

24 horas após uma convulsão tónica-clónica (grande mal)

Asma

Podes viajar
Mantém o(s) teu(s) inalador(es) na tua bagagem de mão
Caso tenhas uma condição grave de asma, tens de fornecer um certificado médico que confirme a tua aptidão para voar
São permitidos nebulizadores a bordo na bagagem de cabine desde que não contenham garrafas de oxigénio

Condições pulmonares (doença pulmonar obstrutiva crónica; fibrose cística; bronquiectasia)

Apenas se tiveres um certificado médico que confirme que estás apto para viajar
Recomendamos que procures aconselhamento médico para determinar se precisarás de oxigénio durante o voo

Os passageiros com falta de ar não podem voar As crianças com problemas respiratórios têm de possuir um certificado médico confirmando que podem voar.

Os passageiros que viajam com uma doença infeciosa menos grave, incluindo qualquer uma das seguintes condições, estão autorizados a voar de acordo com as diretrizes da seguinte tabela.

Doenças infeciosas

Podes viajar

Rubéola

4 dias após o surgimento da erupção cutânea

Sarampo

7 dias após o surgimento da erupção cutânea

Papeira

Quando tiver desaparecido todo o inchaço (geralmente após 7 dias)

Varicela

7 dias após o surgimento do último ponto novo

Infeções virais (gripe sazonal, por exemplo)

Quando já não fores contagioso(a)

Os passageiros com uma doença infeciosa grave (por exemplo, infeções respiratórias graves, tuberculose, pneumonia) não serão aceites sem um certificado médico confirmando que podem voar. Os passageiros com meningite ou infetados com qualquer vírus que resulte de uma pandemia, tal como SARS ou H1N1 (”Gripe Suína”) não serão aceites.

Doenças psiquiátricas Os passageiros com doenças psiquiátricas podem voar, com as seguintes condições:

  • Caso sofras de uma condição médica, tal como fobias, ansiedade ou depressão, deves informar a tripulação de cabine ao embarcar no avião;
  • Caso tenhas um historial de dependência de drogas ou álcool tens de estar num plano de desintoxicação e tens de possuir um certificado de um médico confirmando que podes voar. Não podes estar sob a influência de drogas ou álcool no momento da viagem;
  • A segurança dos nossos clientes e tripulação é sempre a nossa prioridade. A nossa tripulação não permitirá que alguém viaje, não obstante a condição, caso considerem que são um risco de segurança.